Origem da devoção

Você sabia que uma das mais populares devoções a Nossa Senhora nasceu na Alemanha, no início do século XVIII, por volta do ano 1700?

Um sacerdote, Cônego Hieronumus Ambrosius Langmantel, da cidade de Augsburg encomendou um quadro da Virgem Maria para a capela particular de sua família. Mas, devido à formidável beleza e a mensagem que transmitia no quadro, ele acabou sendo levado para a igreja de São Pedro na Perlach. Até hoje, o quadro está lá para a veneração dos fiéis.

Após a Imagem ter sido entronizada na igreja inúmeras pessoas começaram a relatar graças e milagres por intercessão daquela devoção. A fama se espalhou e o povo deu àquela representação da Virgem o título de “Nossa Senhora Desatadora dos Nós”.

Atualmente é uma das mais fortes e populares devoções do mundo, amplamente conhecida também em todo o Brasil.

Nossa Senhora Desatadora dos Nós possui algumas igrejas e capelas a Ela dedicadas, e incontáveis devotos espalhados por todo o país.

A pintura nos recorda a passagem do Apocalipse de São João: “Apareceu em seguida um grande sinal no céu: uma Mulher revestida do sol, a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas” (Ap 12,1).

No entanto, esta pintura possui uma particularidade, Nossa Senhora segura uma fita branca cheia de nós, e, um a um a Virgem vai desatando os nós. Por que será?


Por que nós?

Esta imagem é inspirada em uma meditação de Santo Irineu, bispo de Lion e mártir do ano 202.

Ele dizia que: “Eva, por sua desobediência, atou o nó da desgraça para o gênero humano; ao contrário, Maria, por sua obediência, o desatou!” Nossa Senhora Desatadora dos nós representa para seus filhos o auxílio em todas as adversidades da vida.

O primeiro nó desatado por ela para o bem da humanidade foi o nó do pecado original.

Eis porque não poucos santos afirmam como Santo Irineu: “o nó da desobediência de Eva foi desatado pela obediência de Maria; e aquilo que a virgem Eva atou, com a sua incredulidade, desatou-o a virgem Maria com a sua fé; e, por comparação com Eva, chamam Maria a ‘mãe dos vivos’ e afirmam muitas vezes: ‘a morte veio por Eva, a vida veio por Maria’”. (Lumen Gentium n. 56)

Inúmeros são os problemas e dificuldades que Maria desata na vida de seus filhos. O exemplo de seu poder de intercessão mais famoso foi nas Bodas de Caná, onde desatou um nó e antecipou a hora dos milagres de seu Filho.


Maria quer nos ajudar

A Augusta Desatadora dos Nós não cessa de desembaraçar as dificuldades e os problemas dos filhos queridos que a Ela recorram. Como não cessa de restituir-lhes a paz de alma,  consolando-os em suas amarguras e provações, alcançando-lhes sempre o perdão de suas faltas e a alegria da virtude reconquistada por sua intercessão.

Caro leitor, Não é verdade que, em meio a este mundo tão sedento de Deus, esta devoção é um oásis bendito? Uma devoção que poderíamos chamar de refrigério que renova e confirma nossos propósitos, nossa confiança e esperanças. Reze a bela oração a Nossa Senhora Desatadora dos nós!

Virgem Maria, Mãe do belo amor, que jamais deixa de vir em socorro de um filho aflito; Mãe cujas mãos nunca abandonam seus amados devotos, pois são movidas pelo amor divino e a imensa misericórdia que existem em vosso Coração: voltai vosso olhar compassivo sobre mim e vede o emaranhado de nós que há em minha vida.

Vós bem conheceis o meu desespero, a minha dor e o quanto estou amarrado por causa destes nós. Maria, Mãe que Deus encarregou de desatar os nós da vida dos seus filhos, confio hoje a fita da minha vida em vossas mãos. Ninguém, nem mesmo o maligno, poderá tirá-la do vosso precioso amparo. Em vossas mãos não há nó que não poderá ser desfeito. Mãe poderosa, por vossa graça e vosso poder intercessor junto a vosso Filho e meu Libertador, Jesus, recebei hoje em vossas mãos este nó (mencionar o ‘nó’). Peço-Vos que o desateis para a glória de Deus e por todo o sempre. Vós sois a minha esperança. Ó Senhora minha, sois a minha única consolação dada por Deus, a fortaleza das minhas débeis forças, a riqueza das minhas misérias, a liberdade, com Cristo, das minhas cadeias. Ouvi minha súplica. Guardai-me, guiai-me, protegei-me, ó seguro refúgio! Maria, Desatadora dos Nós, rogai por mim.


Conclusão

Bem certos de que somos circundados pelo amor e amparo de Maria, pedimos a ela que desate os nós que não nos permitem amar a Deus e aos irmãos como deveríamos. Devemos invocar a ela como estrela esplendorosa da Nossa caminhada que nos ilumina e nos leva pela mão. A Virgem Santíssima, que guiou com delicada ternura a todos os seus filhos mantenha nossos olhos e a mentes fixos no seu Filho Jesus, para que, ao desatar o último nó desta vida, possamos ver a Cristo e dizermos: “Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo” (Mt. 16, 16). Ámen!


Você quer participar da evangelização digital do Brasil? Cadastre-se aqui e receba nossos conteúdos e compartilhe-os com seus familiares, amigos e conhecidos!