No dia 15 de Agosto a Igreja celebra a solenidade da Assunção de Nossa Senhora. Este Dogma de Fé foi proclamado pelo Papa Pio XII no dia 1º de novembro de 1950, com a publicação da Constituição Apostólica Munificentissimus Deus. Assim diz o Papa: “com a autoridade de nosso Senhor Jesus Cristo, dos bem-aventurados apóstolos Pedro e Paulo e com a nossa, pronunciamos, declaramos e definimos ser dogma divinamente revelado que a Imaculada Mãe de Deus e sempre Virgem Maria, terminado o curso da sua vida terrena, foi assunta em corpo e alma à glória do céu”.

A tradição da Igreja diz que Maria morreu, diversas afirmações teológicas justificam tal ideia. São João Paulo II disse em uma audiência no dia 25 de junho de 1997: “a experiência da morte enriqueceu a pessoa da Virgem; passando pela comum sorte dos homens, Ela pode exercer com mais eficácia a sua maternidade espiritual em relação àqueles que chegam à hora suprema da vida.”

Mas ficam algumas perguntas.

Onde e com que idade Ela morreu?

Não se sabe ao certo o lugar, se Jerusalém ou Éfeso. Quanto a idade, a Tradição afirma que a Virgem Maria permaneceu um longo tempo na terra após a ascensão de seu Divino Filho, cerca de vinte e três anos. “Chegada aos setenta e dois anos, o anúncio de seu fim interrompeu o silêncio de sua existência…”

Do que morreu?

Quem nos responde esta questão é São Francisco de Sales: “Nossa Senhora morreu da morte de seu Filho. E seu filho, de que morreu? Morreu de amor; nada pode [contra ele] a morte, tudo fez o amor, forte como ela. [Maria] foi ferida de amor no Calvário, quando viu morrer o Filho. Desde então o amor lhe deu tais assaltos, que foi impossível impedir que sua ferida se tornasse mortal”

“Os Anjos não morrem, porém se devessem morrer, não poderiam desejar senão uma morte semelhante à de Maria”

“Maria morreu sem dor, porque viveu sem prazer; sem temor, porque viveu sem pecado; sem sentimento, porque viveu sem apego terreno. Sua morte foi semelhante ao declinar de uma linda tarde, foi como um doce e aprazível sono. A Igreja encontrou uma palavra para designar a morte de Nossa Senhora: a chama de “o sono (ou dormição) da Virgem”.

Quanto tempo Nossa Senhora permaneceu no sepulcro?

Faltam dados históricos e teológicos, mas, uma antiga tradição diz que, semelhante a seu Filho, Maria passou três dias no sepulcro. Sendo assim, foi curto o período de separação do corpo e da alma de Maria.

Diferença entre a Ascensão de Nosso Senhor e Assunção de Maria

É comum haver certa confusão de conceitos a respeito da Ascensão de Nosso Senhor Jesus Cristo e da Assunção de Nossa Senhora.

“Não é exata, portanto, a distinção que estabelecem alguns entre a Ascensão do Senhor e a Assunção de Maria, como se a primeira se distinguisse da segunda pelo fato de ter sido feita por sua própria virtude ou poder, enquanto a Assunção de Maria necessitava do concurso ou ajuda dos Anjos. Não é isso. A diferença está em que Cristo teria podido ascender ao Céu por seu próprio poder ainda antes de sua morte e gloriosa ressurreição, enquanto que Maria não poderia fazê-lo – salvo um milagre – antes de sua própria ressurreição. Porém, uma vez realizada esta, a Assunção se verificou utilizando sua própria agilidade gloriosa, sem a necessidade do auxílio dos Anjos e sem milagre algum.”

>>> Você gostaria de receber um terço em sua casa? Clique Aqui! <<<

***

1 ALASTRUEY, Gregorio, tratado da le Virgen Santísima. 3. Ed. Madrid: BAC, 1952. P. 414.

2 CAMPANA, Emile. Marie dans le Dogme Catholique. Montréjeau: J.-M Soubiron. 1913. Vol. II. P. 492.

3  ROYO MARIN, Antonio. La Virgen María: Teologia y espiritualidade marianas. Madrid: BAC, 1968. P. 208.

4  ROYO MARIN, Antonio. Op. Cit. P. 208.