Santa Teresinha é uma das santas mais populares que a Igreja possui. É difícil encontrar uma cidade onde não exista uma paróquia dedicada a esta santa, ou um altar em sua honra.

Nascida na França no dia 2 de janeiro de 1873, a jovem santa carmelita entrou na eternidade aos 24 anos de idade em 1897 e desde então não cessou de cumprir no céu, seu desejo de passar a eternidade fazendo bem à terra, derramando uma chuva de rosas, símbolo das graças que ela alcançaria junto de Deus por todos os seus devotos.

As rosas sempre estiveram ligadas à devoção que o povo tem por esta santa. Mas de onde vem este costume? (no final deste artigo você poderá rezar a novena a Santa Teresinha)

Santa Teresinha foi beatificada por Pio XI no dia 29 de abril de 1923 e canonizada no dia 17 de maio de 1925. Em dezembro daquele ano um sacerdote jesuíta, Pe Antônio Putingan iniciou uma novena a santa Teresinha. Não desejava nenhuma graça específica, mas pediu que a jovem carmelita obtivesse uma graça que ela julgasse útil para a salvação dele, sacerdote. Além disso, pediu um sinal de que obteria esta graça, o sinal seria receber uma rosa fresca e já desabrochada.

>>> Ajude a evangelização do Brasil. Faça sua doação! <<< 

A novena começou no dia 3 de dezembro e consistia em 24 “Glória ao Pai”, em honra a todas as graças que a Santíssima Trindade havia derramado sobre Santa Teresinha nos seus 24 anos de vida nesta terra.

Pe. Antônio então rezava e sempre renovava o pedido de receber a rosa como sinal do céu. E, de fato, no terceiro dia da novena a graça veio. Uma jovem foi visitá-lo e levou de presente uma bela rosa vermelha com uma longa haste. Impressionado com o fato, o sacerdote perguntou à moça como tivera a ideia de tal presente. A moça, sem saber da novena, contou: “Ontem foi meu aniversário e amigos me trouxeram algumas rosas, pensei então que o senhor gostaria de ter uma e por isso trouxe”.

O padre pensou: “Pode ter sido o acaso, mas jamais alguém se lembrara de me oferecer uma rosa de presente, ainda mais durante o inverno com temperaturas de dez graus abaixo de zero e neve em abundância”. Era um milagre de Santa Teresinha na vida de Pe Putingan.

No dia 24 de dezembro o jesuíta iniciou uma outra novena e pediu duas graças, para a primeira ele não quis um sinal, mas para a segunda disse à santa que queria uma rosa branca. Sem contar isso para ninguém deixou nas mãos da Providência. Foi então que no quarto dia, uma religiosa entra no quarto dele com uma rosa branca na mão e diz: “Padre, trago-lhe este pequeno presente da Teresinha; ela lhe manda lembranças!”. Pe Antônio se assusta e pergunta: “De onde vem esta rosa?”

A freira sem entender porque o padre estava assustado responde: “estava na capela, no altar de Santa Teresinha. Não costumo ir ao altar dela, mas hoje fui e vi uma rosa junto ao altar. Lembrei-me então de vossa Reverendíssima e vim trazer-lhe a rosa.”

Foi desta forma que nasceu esta bela e tão popular devoção. Devoção esta que queremos compartilhar com você no dia de hoje. Santa Teresa de Lisieux, com certeza lhe obterá as mais belas rosas.

>>> O Brasil precisa de você! Faça sua doação pela evangelização do Brasil! <<<

 

NOVENA A SANTA TERESINHA

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

“Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, eu Vos agradeço todos os favores, todas as graças com que enriquecestes a alma de Vossa serva Teresa do Menino Jesus durante os 24 anos que passou na Terra. Pelos méritos de tão querida santinha, concedei-me a graça que ardentemente vos peço: (fazer o pedido), se for conforme a Vossa Santíssima vontade e para salvação de minha alma.

Ajudai minha fé e minha esperança, ó Santa Teresinha, cumprindo, mais uma vez, sua promessa de que ninguém vos invocaria em vão, fazendo-me ganhar uma rosa, sinal de que alcançarei a graça pedida”.

Reza-se, em seguida, 24 vezes: glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, como era no princípio agora e sempre. Amém.

Acrescentando sempre: Santa Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face, rogai por nós!

Ao final reza-se um Pai Nosso e uma Ave Maria.